Este site usa cookies para melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar a usar este site, você concorda com o uso de cookies no seu dispositivo conforme descrito em nossas Políticas de Uso de Cookies.
Reservar agora

História

  • 32857844
  • 32857569
  • 32857849
  • 32857570
  • 32857841
  • 32857852
  • 32857845
  • 32857581

História da Pousada da Barra, Caraíva

O proprietário da Pousada da Barra, Fernando Mascarenhas, nasceu em Salvador e foi criado entre a capital e as fazendas de sisal de sua familia no interior, em Jequié. Quando tinha 9 anos seus pais mudaram-se para o Rio de Janeiro onde passou sua adolescência.

As viagens frequentes para visitar a familia na Bahia permitiram a passagem por várias praias do litoral baiano através da recém inaugurada BR 101 e foi pelo litoral de Porto Seguro, que este carioca baiano se apaixonou. Naquela época, começo dos anos 70, não existiam estradas entre os distritos de Trancoso e Caraiva e o percurso era frequentemente percorrido à pé, pela praia. Quando se conseguia juntar número suficiente de pessoas, alugava-se um barco de pescadores a partir de Porto Seguro e fazia-se o percurso até Caraiva em 5 horas, se as condicões do mar permitissem.

Caraiva estava no pior momento da sua história, não existia turismo, a pesca era a ùnica atividade e a venda do pescado extremamente dificil, pois o peixe tinha que ser salgado e levado até Porto Seguro no lombo e jegues para daí chegar até os municipios vizinhos de Guaratinga e Itamaraju, pois Itabela e Eunápolis faziam ainda parte de Porto Seguro e eram apenas povoados. Muitas pessoas passavam dificuldade e o abandono de propriedades era uma constante.

Foi neste cenário que chegaram o João Eugênio - Chupeta - e o Mascarenhas. Todos compraram o que suas economias permitiam e foram chamados de loucos por seus parentes e ate pelos moradores de porto seguro para quem aquele lugar era pessimo investimento . Porem viam o que ainda era obscuro para outros, a exuberante natureza, a possibilidade de praticar esportes como a caça submarina, a vela e trekings pela mata, de ter contato estreito com a natureza e seus habitantes, os levou a permanecer e construir neste litoral, decisão que hoje, quase 30 anos depois, mostrou-se acertada.

O investimento material talvez nunca seja recompensado mas o nivel de prazer tem sido tao grande por todos estes anos que esperamos poder compartilha-lo com todos que nos visitam.